freud explica…

sonhei que fugia. aflita, apavorada. de mãos cerradas, não fosse perder os filhos. sim, os filhos. que eram, na verdade, da terra mais do que meus. fugia com as mãos fechadas não fosse deixar cair as sementes. esses filhos que escondia nas mãos. os embriões-em-forma-de-pevide que, uma vez espetados na terra castanha fértil, cresceriam que nem um pé-de-feijão, mas em forma de corpo humano, de gente, com pernas e braços e olhos e coração. corria estrada fora em velocidade arrastada. fugia de quem me iria fazer mal. de quem me abriria as mãos à força e me levaria para sempre os filhos. que, uma vez plantados, cresceriam saudáveis. longe, sem nunca conhecer a mãe. 

+ conclusões banais

Anúncios

2 comentários

  1. calita

    Esse sonho é giro!!
    quando se foge nos sonhos, também se está a fugir na vida real de alguma coisa. E como levas sementes/filhos na mão talvez estejas com medo da responsabilidade…mas sei lá eu.

  2. tens uns filhos muito vegan. ihihihiih. filhos da terra é bonito. eu já não me lembro dos sonhos, nem tempo tenho para dormir;) adorei os frutos silvestres. cores vibrantes. deram me agua na boca*veijinhos*querida*maf*

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s